sábado, 25 de abril de 2009

O SEPE somos nós!


Como já vem sendo discutido neste e em outros espaços semelhantes, a blogosfera não deve ser vista como um fim em si mesmo, e nem como uma instância superior ou mais pura de articulação de interesses e promoção de demandas. A blogosfera deve estar intimamemente vinculada com as lutas reais que se travam nas ruas, na esfera presencial. Deste modo, faço questão de divulgar o mais novo blog de campos e região: http://www.sepecamposchapa4.blogspot.com/


Este blog é o espaço de debate e interlocução virtual promovido pela Chapa 4 que concorre nas próximas eleições à direção do núcleo Campos do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação, a se realizar entre os dias 16 e 19 de junho. Este que escreve estas breves linhas informa que compõe a chapa acima mencionada e convida a todos aqueles de alguma forma preocupados com a questão educacional em Campos, no Estado e no país a visitarem o novo blog e contribuirem com a discussão. Segue abaixo o manifesto da chapa 4 assinado por todos nós que a integramos.


MANIFESTO DA CHAPA 4


Renovar - Organizar - Mobilizar


A vez da categoria!


- Basta de imobilismo na direção do SEPE-Campos!


Não é possível continuar a permitir que o nosso núcleo local do SEPE, responsável por estar presente nas escolas, mobilizando a categoria e organizando a luta e as reivindicações dos profissionais da educação do Estado e do muncípio em Campos, Cardoso Moreira, Italva, São João da Barra, São Francisco de Itabapoana e São Fidélis, seja praticamente um sindicato fantasma. Com um orçamento mensal bastantes considerável, é inaceitável a omissão e a paralisia da atual direção majoritária do SEPE-Campos.



- Nas escolas, com transparência e atitude!


O SEPE-Campos não pode continuar a ser dirigido por uma maioria que o mantém descolado do cotidiano dos profissionais da educação que estão nas escolas. O sindicato precisa estar com a categoria para que a mesma esteja com o sindicato. A permanente prestação de contas e a constante convocação dos profissionais da educação para viver a dinâmica da mobilização devem ser os princípios básicos da ação do SEPE-Campos. Para isto é preciso atitude e disposição de luta e organização, utilizando recursos que devemos construir e adquirir, como jornal, carro de som, portal na Internet, e etc...



- O SEPE somos nós, a categoria e sua voz!


Nosso grupo surge do encontro entre educadores da base da categoria, inconformados com o imobilismo e apatia da direção majoritária do SEPE-Campos e o setor minoritário da atual direção do sindicato que, a duras penas, vem mantendo uma dinâmica de lutas e de mobilização, apesar dos obstáculos impostos pela maioria da direção. Somos a voz e a vez da categoria que está nas escolas, sofrendo com as péssimas condições de trabalho, baixos salários e os desmandos de direções autoritárias e incompetentes.


VENHA CONOSCO CONTRUIR UM SEPE-CAMPOS QUE SIRVA À CATEGORIA, E NÃO SE SIRVA DELA!


SÓ CONQUISTA QUEM LUTA, POR ISSO VAMOS JUNTOS COLOCAR O SEPE-CAMPOS EM SINTONIA COM O SEPE CENTRAL, SENDO MAIS UM ELO DA CORRENTE DA LUTA E DA MOBILIZAÇÃO DA CATEGORIA, E NÃO UM OBSTÁCULO A SERVIÇO DE INTERESSES ALHEIOS AOS NOSSOS.


Chapa 4 - Sepe na luta pela educação: contra a crise e a privatização!


QUEM SOMOS:


AMARO SÉRGIO DA S. AZEVEDO


E.M. Cláudia Almeida (Farol)/E.T.E.E. Agrícola Antonio Sarlo/ Diretor do SEPE



BRAZILINA SILVANO S. DE ANDRADE


C.E. Nilo Peçanha/ C.E. Desembargador Alvaro Ferreira Pinto (DONANA)



GRACIETE SANTANA N. NUNES


C.E. Nilo Peçanha/ISEPAM/Diretora do SEPE



LUÍS CLÁUDIO P. DE SOUSA (BALULA)


E.M. José de Anchieta (Xexé)



SÍLVIA S. MARINS OLÍMPIO


E.M. Guiomar Ramos Paes (Travessão)/C.E. Olímpio Paulo da Silva (Morro do Côco)



JANETE OLIVEIRA DE BARROS


CIEP Nação Goitacá (Goitacazes)/E.M. Eunicia F. da Silva (Santa Rosa)



MAYCON B. DE ALMEIDA


Liceu de Humanidades de Campos/ C.E. Dom Otaviano de Albuquerque (Ururaí)



NAINE MARIA F. TAMY


C.E. General Dutra (Guarus)



JORGE LUÍS PEREIRA DOS SANTOS


CIEP Nina Arueira (Goitacazes)



CÉSAR FERNANDO DOS SANTOS


CIEP Clóvis Tavares (N. Brasília)



ANA MARIA DA CONCEIÇÃO MONTEIRO


E.E. Dr. Alcindor M. Bessa ( Turfe Clube)



CENILDA ALMEIDA COUTINHO



MARILDA. R. DE S. CAPUTI


ISEPAM



CARLA REGINA DA S. SANTOS


E.M. Cláudia Almeida (Farol de São Tomé)



JEANETE B. SOARES


C.E. Nilo Peçanha



AIRTES CRUZ DA SILVA


CIEP São Francisco do Itabapoana



GEDMAR S. CARVALHO


Liceu de Humanidades de Campos/E.M.Dr. Luiz Sobral (Guarus)



SELMA MARIA S. DE SIQUEIRA


E.M. Lions 11 (Pq São Jorge)



ADRIANA KELLY P. MONTEIRO


CIEP Ataíde Dias (Santa Rosa) - Animadora Cultural



ANDRÉ LUÍZ LOPES MANHÃES


E.M.Maria Isabel V. Simão (Macaé)



RAPHAEL B. DE S. NETO


Liceu de Humanidades de Campos/E.M. Dr. Getúlio Vargas (Tocos)




SUPLENTES:


ANDRÉ G. FERREIRA


E.E. João Barcelos Martins



CLÁUDIA CRISTINA N. PINTO


E.M. Cláudia Almeida (Farol)



ELISETE G.PEIXOTO


C.E. Dr. Barros Barreto (Baixa Grande)



FABIANO V. PINHEIRO


CIEP Edmar Ferreira Medeiros (Cardoso Moreira)



PÂMELLA N.M. DE MIRANDA


E. M. Pequeno Frederico (Ururaí)



RENATA VIEIRA LEAL


CIEP Ataíde Dias (Santa Rosa)



VALÉRIA DA S. AZEVEDO


E. M. Santa Terezinha (Baixa Grande)

6 comentários:

Professora Hilda Helena disse...

Amado pofessor:
O fato de estarmos compondo chapas diferentes não é problema para continuarmos juntos na luta da categoria!TE ADMRO DEMAIS!Sucesso na luta!

Maycon Bezerra de Almeida disse...

Com certeza minha cara Hilda, nossa diferenças neste momento são apenas o reflexo do debate democrático utilíssimo a nós mesmos. Vamos juntos porque entendo que nossa causa é a mesma, ainda que nossa chapa não seja. Um abração!

Anônimo disse...

Caro professor,
que bom tê-lo na luta, bem vindo!
Discordo da forma como se posiciona sobre o SEPE, mas como bem sei que ainda são posições muito mais de alguns parceiros (as) do grupo ao qual está ligado, tenho certeza que quando começar atuar refará a tua fala. Sou bastante crítica a algumas práticas ao longo dos anos de luta do sindicato. Creio que precisamos adequar as práticas às novas demandas, mas não podemos perder de vista a nossa luta histórica para não corrermos o risco de embrenhar por caminhos que não terá volta. Impor a categoria opinião de grupos é substimar a inteligência dela. Talvez o afastamento nos últimos anos se dê justamente por causa da forma como tem se dado as disputas que tem acontecido entre as correntes sindicais bem como as partidárias que se estabeleceram dentro do sindicato. Não podemos perder de vista que a categoria é plural e tentar enquadrá-la nesta ou naquela posição, me perdoe, mas não é nada inteligente. Temos que voltar a fazer dispustas com qualificação e não por imposições.
Abraços sepista!

Maycon Bezerra de Almeida disse...

Cara anônima, agradeço sua visita e seu comentário, seja sempre bem-vinda para opinar neste espaço, no entanto, é preciso que eu diga algumas coisas.

1) A posição expressa no manifesto em questão é tão minha como dos demais companheiros e companheiras da chapa na qual participo. Não é inteligente, ou mesmo educado, pressupor a incapacidade intelectual e a falta de autonomia política daqueles dos quais discordamos.

2) Não entendo que a participação de correntes sindicais e partidos políticos na dinâmica da vida do sindicato seja, por si, negativa. Ao contrário, entendo que esta pluralidade pode, quando realizada de modo honesto, transparente e democrático, contribuir para o fortalecimento do movimento sindical e da luta da classe trabalhadora. Entendo que é necessário analisar, em concreto, as características próprias da ação de cada partido político e corrente sindical para criticá-las, a generalização, neste caso, não é muito produtiva.

3) Concordo com o fato de que a paralisia do SEPE campos se deve sim à orientação imposta (este é o termo) pela maioria da direção (e sua corrente política) ao sindicato, por isto me integro a esta chapa de oposição, isto, no entanto, não sognifica de modo algum, muito ao contrário, a vontade de imposição de projetos alheios à categoria na condução do SEPE campos. Nestes últimos vinte anos, nos quais a atual direção majoritária exerceu seu controle soberano sobre o sindicato, produziu-se o quadro atual entãão é sobre este grupo político que deve se atribuir a responsabilidade pelo quadro ataul do SEPE Campos. Eu e os demais companheiros e companheiras da chapa 4 queremos estabelecer uma vivência democrática na condução do SEPE e na relação este com a categoria, primando pela transparência, pela organizaçãoe pela mobilização para alcançar as conquistas que desejamos.

Um abraço!

Anônimo disse...

Caro Professor,
Não coloquei em dúvida a sua capacidade intelectual, mas a falta de vivência no cotidiano do sindicato. Discordo de algumas posturas políticas tuasm mas o considero bastante embasado na defesa dos teus princípios. É um discordar salutar, o que não ocorre com alguns parceiros (a) teus de chapa, que tem uma postura com práticas bastante viciadas. Quando te dou boas vindas é verdadeiro, pois não tenho motivos para não fazê-lo, só a prática poderá me demover. As divergências e diferenças de idéias é que enriquecem os debates, desde que se respeite e seja feito com qualidade. Conheço o SEPE bem mais tempo que você e como te disse,tenho críticas, mas discordo de algumas posturas tuas, mas respeito pela sua falta de vivência na vida sindical. Espero que você contribua para que alguns parceiros teus de chapa também, já com larga experiência no movimento sindical, reveja algumas posturas com práticas viciadas, que sempre fizeram do SEPE, correia política dos seus interesses partidários, defendendo o que se tem de mais nefasto na política do estado e do município. Hoje ele é contra, mas não sei amanhã, quando os ventos soprarem para outros lados.
Concordo com a inoperância por que hoje passa o sindicato, porém responsabilizo vários parceiros (as), inclusive alguns (a) que estão na tua chapa!!!
Torso para que o SEPE se revigore e retorne à luta e volte a ter grandes vitórias, como já tivemos. Sem saudosismos, mas o nosso espaço de lutas tem que continuar, preservando os seus princípios fundamentais, renovando e adequando as formas de luta com dignidade!!!
Abraços sepista e boa sorte!

Maycon Bezerra de Almeida disse...

Cara anônima, seu comentário é muito vago. Entendo que o ideal é tornar o debate franco expondo claramente as divergências e questões, caso contrário não há como avançar. Um abraço!